domingo, dezembro 17, 2006

Direito falhou a quarta

JOSÉ RODRIGUES


O Direito não consegui bater a formação homóloga espanhola, o U.E. Santboina, na 31.ª edição da Taça Ibérica e, assim, consolidar a hegemonia lusa no râguebi peninsular.

Em campo, os “advogados” foram a equipa que mostrou, poucas vezes, alguma qualidade na prática da modalidade, mas faltou-lhe claramente ser uma equipa, tendo estado em campo duas metades distintas – uma "imitadora" da selecção, com elevada capacidade competitiva (mas a revelar algum cansaço) e outra limitada à competição interna e, por conseguinte, com pouco ritmo.

Já do lado dos espanhóis, o râguebi exibido é quase “jurássico”, assentando quase exclusivamente no poderio do bloco avançado – de facto muito forte e experiente – para fazer progredir a equipa e o marcador.

E se na primeira parte, a partida se desenrolou sob grande equilíbrio, embora com alguma vantagem dos catalães, já o tempo complementar mostrou-se fatal para o “quinze” de Monsanto. Sem que houvesse ligação entre avançados e três-quartos e ainda com dois jogadores nitidamente abaixo das necessidades – abertura e primeiro centro –, os “advogados” ainda ofereceram um brinde aos adversários. A meio do segundo tempo e quando saía para o ataque, Caetano Nunes permitiu uma intercepção do ponta rival que, sem hesitar e sem adversário pelo frente, correu até ao ensaio.

Era a desilusão numa exibição já de si sofrida e que, com o passar do tempo, se complicaria, sobretudo já sob o termo, com as duas exclusões temporárias, reduzindo o Direito a 13 unidades e uma missão impossível – dar a volta ao marcador e conquistar a quarta Taça Ibérica.

Juiz corajoso


O árbitro francês Laurent Vallant esteve bem, foi disciplinador e pedagogo, tudo fazendo para que o jogo decorresse sem incidentes, o que em boa verdade aconteceu.

Sempre muito firme, mas sem ser autoritário, o juiz evitou mostrar o cartão amarelo, mas acabaria por ter de o fazer por quatro ocasiões, três ao Direito (Miguel Leal, Pedro Carvalho e Rui D’Orey) e uma aos espanhóis.

No entanto, onde o gaulês surpreendeu foi quando se interpôs entre jogadores desavindos, situação que evitam, até mesmo por questões de segurança. Mas Vallant foi mesmo valente e, de forma determinada, por duas vezes evitou cenas de pugilato entre jogadores.

Ficha de jogo


Local | Estádio Universitário de Lisboa
Árbitro| Laurent Vallant (francês)

Direito 16 (6)
Pedro Leal (3,3,5,2,3); Miguel Portela, João Diogo Mota, Miguel Leal (André Tojal) e Pedro Carvalho; Frederico Nunes e José Pinto; Vasco Uva (capitão), Salvador Palha e Diogo Coutinho; Eduardo Acosta e Rui D’Orey; Bernardo Mota, João Correia (Gonçalo Alpoim) e Jorge Segurado.
Treinador| Daniel Hourcade

U.E. Santboiana 22 (6)
Victor Marlet (José Luís Diaz); Oriol Garcia, Ivan Reseter (Iñaki Campillo), Marc Ventura (capitão) (Iñaki del Portillo) e Gonçalo Vicente (5); Alfons Martinez e Santiago Serrano (3,3,2,3,3,3); Sergi Guerrero, Frederico Alcon e Pol Massoni; Scott Keith e Vicens Lazaro; Xavier Corbacho, Ricardo Martineta e Miguel del Toro.
Treinador| Pablo Tomaz

OS TÉCNICOS

Daniel Hourcade
Treinador de Direito
"Nós é que perdemos"


"Estou triste porque fomos nós que perdemos, mais do que eles ganharam e isso mostra bem o que se passou. Isto sem falta de respeito pela vitória e trabalho do Santboiana. Mas Direito foi o grande rival de Direito, marcámos os nossos pontos e os deles com os erros cometidos. Criámos boas situações mas acabámos ou a perder a bola ou a cometer falta e não estivemos nada bem na ligação avançados/três-quartos".

Tomaz Morais
seleccionador nacional
"Foi uma pena"


“Foi uma pena o Direito não ter ganho, pena que não tivesse jogado à Direito, ter sido uma equipa mais dinâmica e o jogo seria outro, tal como o resultado que, com naturalidade seria uma vitória porque os espanhóis foram muito estáticos. De qualquer forma, eles tiveram muita atitude e lutaram até ao fim, uma característica da nossa selecção. É uma equipa jovem e com boa margem de progressão."

in "O Jogo"
râguebi Santboiana sem brilhar bate com justiça advogados E CONQUISTA TAÇA IBÉRICA
Direito com estratégia torta
Pelo segundo ano consecutivo o campeão espanhol, o Santboiana, suplantou o homónimo português, o G. D. Direito, pela mesma diferença pontual (seis pontos) de há um ano, em Barcelona, e levantou a Taça Ibérica pela quarta vez na sua história. Um embate que se decidiu praticamente pelas mesmas vias do ano passado, ou seja, um quinze espanhol que não joga bonito nem com técnica colectiva, mas eficaz na forma como utiliza os pontos fortes — o poder do bloco avançado e um chutador inspirado, o médio-de-formação Carlos Montilla, que obteve 17 dos 22 pontos da equipa. Por seu lado o Direito, que teve em Pedro Leal o autor de todos os 16 pontos, só pode queixar-se de si, pois teve a vitória perto mas, no meio de tantos erros individuais (muitas falhas no passe da oval), de uma equipa ainda sem mecanismos, por via da irregular competição interna, mas também de discutíveis opções do seu treinador, e a sonolência que o atacou no banco, acabou por falhar a reconquista deste título ibérico. Assim, nos quase 90 minutos, Direito andou mais a defender, mais tempo no seu meio-campo e teve de perseguir o resultado que nunca lhe foi favorável. Contudo, cada vez que encadeava o jogo à mão, era mais perigoso. O empate a seis pontos ao intervalo era bom para o Direito face às situações de perigo e ensaio iminente que os mauls dinâmicos espanhóis tinham criado e pensava-se que, se físicamente, os jogadores portugueses não cedessem, a

vitória ainda era possível. Logo aos cinco minutos um brinde do n.º 10 que passou sem ver, deu um ensaio de intercepção e o Santboiana ganhou vantagem por 6-13. Foi preciso um momento de génio do n.º 15, Pedro Leal, que arrancou, aos dez minutos, um grande slalom, para o ensaio de novo empate (13-13). Se o Santboiana parecia mais poderoso, certo é que houve quatro espanhóis lesionados e o Direito, sem aproveitar, ia facilitando com faltas (penalidades e 16-19 a dez minutos do fim) e com alguma indisciplina à mistura que lhe valeu dois amarelos e os derradeiros seis minutos a jogar com menos dois jogadores. Perto do fim o Santboiana fechou o jogo nos avançados, manteve o Direito longe dos seus postes e não deu hipótese a um quinze de Monsanto que precisava, ontem, de um treinador (Daniel Hourcade) que tivesse mexido mais cedo na equipa. Ou foram os jogadores que não seguiram as instruções? A. AGUILAR

in "A bola"

sexta-feira, dezembro 15, 2006


TODOS AO ESTADIO UNIVERSITARIO!!!!

Pouco publico na taça iberica...

Vai acontecer... infelizmente!!!

A FPR acabou de dar mais um tiro no pé no que conta ao desenvolvimento do rugby em Portugal. Com um "jogo grande" dia 16 GDD x Santboiana para decidir o campeão ibérico de clubes, a FPR decidiu marcar uma jornada para este fim de semana... mas não esta sozinha porque nisto de dar tiros nos pés toda a gente participa e o clubes também não estão isentos de culpa porque poderiam ter marcado os seus jogos para domingo para assim poderem assistir a este grande jogo!!!
Já vários amigos que jogam em outros clubes me manifestaram o seu desagrado em não poderem assistir ao jogo por terem jogo ao mesmo tempo...
Eu sei que devido a preparação da selecção nacional os fim de semanas para jogar não são muitos, mas acho que poderiam fazer um esforço. Em vez de anularem jogos porque alguns jogadores não estão presentes (7's ou 15) já teriam realizado estes jogos e agora poderíamos fazer uma grande festa de rugby no sábado! Mal ou bem o GDD realizou esses jogos, sem muitos titulares, que na minha opinião só trás vantagens... dá-se lugar aos jogadores menos utilizados e mais jovens que muitas vezes estão tapados pelos mais cotados, depois parece que o GDD tem um plantel muito forte...porquê? Porque devido a mentalidade mais aberta de Daniel Hourcade, o GDD joga, quer estejam os jogadores da selecção ou não!!!! Tenho ou não razão??

Aquele abraço

quarta-feira, dezembro 13, 2006

Eleições do Ano 2006

.Votação para o jogador do ano.
.Votação para o jogador revelação do ano.
.Votação para melhor 15 do ano.
.Votação para melhor 7 do ano.
.Votação para melhor treinador do ano.
.Votação para melhor arbitro do ano.
.Votação para melhor clube do ano.

-Regras para uma eleição justa...

. Votar apenas 1 vez por cada posição (serão somados os votos em qualquer posição que sejam votados por exemplo 4 e 5, serão considerados como um voto para a 2 linha quer o voto seja para a posição 4 ou 5...)

. Para votar no melhor 15 deverão ter em conta as prestações dos atletas na Selecção Nacional de 15 ou no clube que representam.

. Para votar no melhor 7 deverão ter em conta apenas as prestações ao nível de Selecção Nacional de 7 (pois infelizmente não existe nenhuma competição a sério de 7's ao nível de clube...)

. Para a votação de melhor jogador e revelação deverão ter em conta os jogos no clube e selecções de 15 e 7's.

. Só são aceites votos de comentadores identificados para permitir apenas, na medida do possível, um voto por visitante. Os votos podem ser realizados em comentários ou se não o quiserem fazer na "praça publica" poderão envia-los para o meu email criado para o efeito eleicoesdoano2006@gmail.com

.Já coloquei um comentário com a ficha de voto, não sendo obrigatório, facilita a votação.

. As "urnas" estarão disponíveis ate dia 31 de Dezembro.

terça-feira, dezembro 12, 2006

domingo, dezembro 10, 2006

Portugal conquistou Shield

JOSÉ RODRIGUES


A Selecção Nacional conquistou o troféu Shield no torneio de George, África do Sul, a segunda prova do circuito mundial de sevens.

No jogo decisivo, os Lobos tiveram de se empenhar para derrotar o Zimbabué por um tangencial 14-12, depois de terem chegado ao intervalo a perder por 12-0. Na primeira metade do encontro, os portugueses foram surpreendidos por um “sete” rápido e bem organizado, que soube aproveitar as falhas do adversário.

No tempo complementar, Portugal esteve mais coeso e mais seguro, acabando por conseguir tomar a iniciativa do jogo e marcar dois ensaios transformados e vencer o primeiro troféu do circuito.

Contudo, o dia começou com uma derrota frente ao Canadá por 19-12, mas com uma exibição de bom nível e a equipa a dar boa conta de si frente a um adversário muito forte e regular. E foi promissor o primeiro tempo, com as Quinas a conseguirem por em prática o seu jogo, chegando ao intervalo a vencer por 12-7. Mas faltou velocidade e, isso foi indisfarçável, o homem do meio campo capaz de liderar uma equipa muito jovem e ainda com pouca experiência.

Tomaz Morais, seleccionador nacional
"Faltou-nos velocidade"


“Hoje o dia correu melhor. Com o Canadá estivemos bem, foi um jogo muito disputado e perto do fim tivemos oportunidade de marcar, mas na segunda parte faltou velocidade à equipa, que cometeu erros involuntários devido à inexperiência. Já com o Uganda não tivemos problemas, mas com o Zimbabué foi difícil. Chegámos ao intervalo a perder por 12-0, mas na segunda parte a equipa reagiu bem e conseguiu dar a volta. Em resumo, faltou velocidade à equipa e não conseguiu recuperar da perda de António Aguilar – o “play-maker”–, de Frederico Sousa e do Gonçalo Foro. Com menos juventude e mais experiência, tínhamos feito mais”.

Resultados dos outros troféus

Bowl

Austrália-Quénia 41-7

Plate

Gales-Tunísia 26-5

.html
Nova Zelândia-África do Sul 24-19


sábado, dezembro 09, 2006

IRB SEVENS WORLD SERIES

Alfredo Pelenise scorched over for two tries in the final

Alfredo Pelenise scorched over for two tries in the final

New Zealand kings of George

New Zealand have held off the strong challenge of home team South Africa, and the vociferous home crowd in George, to win a pulsating final and take the Emirates Airline South Africa Sevens title.

The win leaves New Zealand and South Africa tied on 36 points at the top of the IRB Sevens World Series.

LATEST RESULTS FROM GEORGE >>
LATEST SERIES STANDINGS >>

Schalk van der Merwe put the Boks ahead in the first minute but Alfred Pelenise and the outstanding Nigel Hunt hit back for the men in black and New Zealand led 10-5 at the break.

The South African side looked nervous and buckled in the second half under the heavy pressure of the New Zealand defence and the expectant home support. Zar Lawrence's try was cancelled out by Philip Burger's - Burger was top try scorer for the tournament - but Pelenise's second made van der Merwe's late score nothing more than a consolation.

Earlier, Gordon Tietjens' side was hugely impressive in dispatching Fiji for the second week in a row 29-12 with Lawrence, Rickards and Cocker again among the tries.

Home favourites South Africa then battled from behind to overcome a competitive young England side 10-7, Philip Burger grabbing the decisive score to the delight of the home crowd.

Wales clinch Plate

Wales outclassed Tunisia, playing their first ever plate final, to build on a 14-0 lead and run out 26-7 winners. Tries for Jenkins, Thomas, McAtee and Selley rendered Lotfi Nino's well worked try nothing more than a consolation and Wales take eight Series points to Tunisia's six.

Earlier, Tunisia made it through to their first ever Plate final, Nino inspiring the side to beat Samoa 19-7, before Wales beat France in a thrilling sudden-death extra time win. Fabien Grammatico's try brought France level on the final whistle but after four energy-sapping minutes of extra time Martyn Williams went over in the left corner to seal a win for Wales.

Earlier Wales lost out to Fiji 33-7 in the Cup quarter finals, before Tunisia's Cup adventure was cut short by the Boks, 38-0.

Australia take Bowl title

Australia's newlook squad heaped the pressure on their seasoned players back at home by seeing off Kenya 41-7 with Cummins and Cornforth each scoring braces.

Australia and Kenya earlier won through to the final with respective wins over Canada, 31-5, and Argentina, a last-ditch try for Horace Otieno sealing a fine come back win for Kenya against Argentina.

Portugal recover to win Shield

Portugal won the Shield in their second event as a tour team on the Series, coming from behind to beat Zimbabwe 14-12 with second half tries from Aderito Estevez and Francisco Moreira.

Portugal and Zimbabwe won through to the final of the final with respective wins over Uganda and Scotland.

Portugal sem chama

Circuito Mundial de Sevens

Portugal sem chama

J.R.


O primeiro dia de competição do torneio de George (África do Sul) não correu bem ao "sete" português que averbou três derrotas noutros tantos embates.

No primeiro jogo, frente à Argentina, os Lobos até começaram bem. Tomaram a iniciativa do jogo, controlaram a partida e chegaram ao intervalo a vencer por 12-0 e deixavam boa impressão para o tempo complementar.

Só que o reatar da partida foi fatal para as Quinas que sofreram dois ensaios seguidos e, já perto do fim e quando estavam em superioridade numérica, os portugueses não conseguiram segurar a bola, acabando por sofrer o terceiro ensaio fatal e com repercussões para os restantes embates.

A segunda partida do dia, com Inglaterra, voltou a expor o receio que a equipa ainda mostra perante a formação da Rosa. Uma equipa muito jovem, com pouca experiência, tornou-se presa fácil para os vice-campeões da prova.

Por fim, frente a Gales, os Lobos voltaram a dar um ar das suas capacidades, mas a equipa já estava muito cansada e não foi capaz de travar um "sete" galês muito forte, física e tecnicamente.

Hoje, Portugal defronta o Canadá em partida dos quartos-de-final da taça Bowl.

Resultados

Argentina-Portugal 19-12
Inglaterra-Portugal 58-5
Gales-Portugal 17-5

Tomaz Morais, seleccionador nacional

"Não foi um dia bom"


"Não foi um bom dia. Começámos muito bem com a Argentina e na primeira parte até falhámos três ensaios e na segunda acabámos por perder por erros próprios. Voltamos a cometer erros na toma de decisões. A perda do Aguilar deixou-nos sem um "play-maker" agravada pela lesão de Frederico Sousa, que teve um forte impacto numa equipa muito jovem e com pouca experiência. Com Gales a equipa tentou recuperar o orgulho, mas falhou muitos ensaios, cometeu erros de passe e recepção da bola e perdeu muitas bolas no contacto."

in "O JOGO"

Direito isolado no comando

Campeonato Nacional de Honra

Direito isolado no comando

J.R.


O GD Direito conseguiu, à segunda jornada do campeonato Nacional de Honra, isolar-se no comando, beneficiando dos dois pontos extras que conseguiu amealhar – um por jogo – por marcar mais de quatro ensaios.

Ontem, frente ao Cascais, os campeões em título não tiveram grandes dificuldades em dominar o encontro de início ao fim, mostrando-se mais fortes em todos os sectores. Ao intervalo os "advogados" já venciam por 19-3.

Já os restantes embates foram mais equilibrados, permitindo às formações derrotadas amealharem ponto bónus por derrotas até sete pontos de diferença. No entanto, no Porto, o jogo CDUP-Agronomia foi dominado pelo mau tempo que transformou o relvado do Estádio Universitário num verdadeiro lamaçal.

in "O JOGO"

DIREITO VS SANTBOIANA



Por ter transmissão televisiva o jogo da final da taça ibérica será disputado no Estádio Universitário de Lisboa às 14.05 no dia 16 de Dezembro de 2006.

VAMOS TODOS AOS ESTÁDIO!!!!
Wales and Tunisia make George quarters

After the excitement and drama of Dubai last weekend, where South Africa opened up an early four-point lead over New Zealand in the Series, the Boks again look the team to beat in George at the Emirates Airline South Africa Sevens. Day one has seen more upsets and thrilling Sevens rugby, with Wales and Tunisia both joining the top four seeds in the Cup quarter finals.

LATEST RESULTS FROM GEORGE >>

Pool A

Top seeds Fiji head Pool A after they rounded off the day with victory over Samoa but they had to be at their very best against Canada early on - forward Sireli Naqelevuki instrumental in a tough 22-14 win - before cruising to a more straight forward 47-7 against the impressive Zimbabweans.

Samoa opened up with a 28-12 win over Zimbabwe, captain Lolo Lui again impressive, before seeing off the vastly improved Canadians 31-10 to ensure their Cup quarter final place. The Canadians beat Zimbabwe 19-0.

Pool B

Pool B was tight from the very start with England eventually topping the group from Wales. Tal Selley's try on his return to the Welsh squad helped them to come back from 14-0 down and draw the opening match against England. The Welsh then beat Argentina and the gutsy Portuguese to book their place in the Cup quarter finals. England recovered from the early draw to beat Portugal, new cap Charlie Amesbury among the tries in a 58-5 win, and the Pumas also won against the Portuguese to set up an intriguing final match where a win would have put either England or Argentina through. England sealed an easy win to top the group.

Pool C

Hosts South Africa dominated pool C from the outset with Player of the Tournament in Dubai Stefan Basson again outstanding. Paul Treu's men opened up with a 45-7 win over Kenya and then beat Uganda 57-0 with a near faultless display and France in the driving rain.

France started with a 22-7 win over Uganda but had to work far harder against Kenya, coming from 12-7 down to beat the Kenyans 22-19, Marc Giraud and Bogdan Leonte with the decisive scores before Horace Otieno's consolation.

Pool D

New Zealand kept up their good form in Dubai and out-performed all of their opponents in Pool D's opening matches, easily dispatching Scotland and Tunisia before holding off another late day one rally from trans-tasman rivals Australia.

Tunisia it is, though, who join them in the Cup quarter finals after they beat Australia 21-12 to provide George with its first upset, and then Scotland 33-14. Australia earlier beat Scotland.

Cup quarter final line-up
Fiji v Wales
England v Samoa
South Africa v Tunisia
New Zealand v France

Circuito Mundial de Sevens

Portugal quer ultrapassar azar

Equipa das "quinas" começa hoje, na África do Sul, a sua participação no segundo torneio da temporada, mas não se apresentará na máxima força, devido a lesão de António Aguilar

JOSÉ RODRIGUES


A selecção portuguesa de sevens inicia hoje, em George, na África do Sul, a disputa do seu segundo torneio do circuito mundial da especialidade. Pela primeira vez, os "Lobos" vão participar em todos os torneios da competição, um desejo tanto dos jogadores como do seleccionador nacional, Tomaz Morais, e com um objectivo ambicioso: lutar pelo principal troféu.

Contudo, as dificuldades estão a ser superiores ao esperado e a sorte também não está a ajudar, como ficou patente no Dubai, prova que abre a temporada. Aí, a equipa das "quinas" teve o melhor primeiro dia no circuito, incluindo um triunfo inédito sobre a Austrália, mas nem assim logrou o apuramento para a Cup, porque, inesperadamente, os australianos bateram as Fiji e "roubaram" o segundo lugar a Portugal.

Hoje, a tarefa lusa é bem mais complicada. No Grupo B, juntamente com Inglaterra, Argentina e Gales, as "armas" portuguesas não são as mesmas. Sem António Aguilar (lesionado), os "Lobos" ficaram sem o homem do meio-campo, o organizador de jogo. E como o azar não abandona o grupo, Diogo Mateus que esteve na calha para substituir Aguilar, acabou por não ter a autorização do Munster, clube irlandês onde alinha e numa altura em que já não era possível optar por outro jogador.

Já a outra baixa, Gonçalo Foro, foi substituído por Vasco Uva, um reforço importante para os avançados e que vai dar outra consistência à equipa, como ficou patente no jogo treino com a África do Sul, sobretudo nas duas partes iniciais, com os "Lobos" a aguentarem bem o forte ritmo dos Springboks e que animam Tomaz Morais: "Vamos tentar corrigir o que fizemos mal com a Argentina, uma selecção ao nosso alcance, mas com Gales já vai ser mais complicado e com Inglaterra vai ser um teste à maturidade desta equipa que é muito jovem e com pouca experiência"

in "O JOGO"

terça-feira, dezembro 05, 2006

1º Jornada GDD vs Técnico - Sexta feira dia 1 Dezembro de 2006


O jogo de sexta consolidou-se numa vitória do GDD por 6 ensaios contra 2 do técnico.

Um jogo que era importantíssimo para o GD Direito (teve poucas possibilidades de treinar o jogo colectivo, devido à selecção, e estava a defrontar a sensação desta época), a equipa sénior mostrou-se muito madura e, com um jogo muito trabalhado, com muitas fases de jogo, com uma defesa exemplar, foi construindo uma sólida vitória, bastante moralizadora para as tropas de Daniel Hourcade.

Na primeira parte o GD Direito vencia por 12-9 (2 ensaios e uma conversão contra 3 penalidades do técnico), tendo sido sempre superior ao técnico que, para além do jogo ao pé, pouco mais mostrou.

Cientes que, com pontapés, também se ganham jogos, na 2ª parte o GD Direito arrancou para uma tarde muito pressionante e muito activa. Logrou 4 ensaios dissipando todas e quaisquer dúvidas em relação ao resultado final.

Já no final da partida, o técnico alcançou 2 ensaios os quais, para todos os efeitos, têm de ser analisados pela nossa equipa e, no futuro, evitados.

A vitória, contudo, nunca esteve em dúvida, sendo clara e justíssima.

Uma nota final: A futobulização do nosso rugby não se precisa. Neste aspecto nota negativa para a claque do técnico que não pode deixar de se relevar: desde o primeiro minuto a insultar a equipa e jogadores do direito, sempre incentivando e rejubilando com a violência do campo, mostra a falta de espírito do rugby que paira nas Olaias.

Não confundam agressividade e espírito de combate (necessários neste desporto) com a violência gratuita, placagens fora de tempo, espectadores a atirarem objectos aos jogadores, etc. que foi uma constante naquele estádio. Há que repensar esta maneira de estar na modalidade.

Marcaram ensaios pelo GD Direito: Kiki, Bernardo Mota, Vasco Uva, Bernardo Mota, Eduardo Acosta, Salvador Palha.

Frederico C. Nunes fez 3 conversões.
PARA QUEM DIZ QUE 7'S NÃO É RUGBY VEJAM OS VIDEOS EM BAIXO... QUE ESPECTÁCULO!!!!
An American at the Dubai Rugby SEVENS - 2

Vejam com atenção!!! Xico...
Hong Kong Rugby 7's
Emirates Airlines Dubai Rugby Sevens - Party Time

Nos gostamos muito do campeonato portugues mas nao compreendem que gostemos de ir ao Dubai???
Dubai Rugby Sevens
Hong Kong 7s 2005

E nós estavamos la!!!!
Rain at the 7s
Dubai Rugby 7s

Só estando lá!!!!

domingo, dezembro 03, 2006

IRB Rugby Sevens World Series Promo
Circuito Mundial de Sevens

Portugal esteve bem mas faltou-lhe a sorte

Os "Lobos" tiveram uma boa estreia e fizeram o melhor no primeiro dia da competição, mas não conseguiram qualificar-se para a Cup
JOSÉ RODRIGUES
A estreia de Portugal no Circuito Mundial de Sevens, na primeira vez que vai disputar os oito torneios da prova, foi muito positiva, mas sem que a sorte acompanhasse o desempenho dos "Lobos".
Uma vitória no jogo de abertura frente à Austrália (12-10) dava um alento acrescido para o resto da competição, o que, de facto, veio a acontecer, com os portugueses a derrotarem o Quénia por um amplo 27-0 no terceiro jogo do dia e depois da derrota (natural) com as Fiji. Neste encontro, a selecção lusa sofreu o primeiro revés, com Gonçalo Foro a lesionar-se com gravidade e a abandonar a competição.
A água fria veio depois do triunfo sobre os africanos com a Austrália, a surpreenderem tudo e todos ao derrotar as Fiji e a "roubar" a Portugal o apuramento para a Cup.
Remetidos à Taça Bowl, o desalento foi grande entre o grupo, mas não o suficiente para impedir as "quinas" de uma exibição extraordinária frente à Escócia, na partida dos quartos-de-final da Bowl.
Com uma equipa muito coesa, Portugal controlou o encontro quase de início ao fim, deixando para os escoceses apenas os dois minutos finais e isto graças ao segundo revés dos "Lobos" e, desta vez, bem mais complicado por se tratar de António Aguilar, o principal organizador de jogo da equipa.
Aguilar lesionou-se ao marcar o quinto ensaio de Portugal, fazendo 33-0, uma boa ilustração do domínio português, que esteve muito bem a criar jogadas de ataque e adefender quando foi necessário.
Na meia-final, frente à Argentina, Portugal teve o seu pior desempenho, mostrando-se uma equipa sem ânimo nem agressividade suficiente para derrotar um adversário que não se revelou particularmente difícil.
No fim, o seleccionador nacional, Tomaz Morais, referiu: "Fizemos uma boa prova, a equipa é muito jovem, mas portou-se bem. As lesões do Gonçalo e do António Aguilar, que foi um excelente capitão, deixam-nos problemas sérios". -->

sexta-feira, dezembro 01, 2006

Dia 4

Delilusao...

Tal como prometido neste espaco ontem Portugal deu tudo, e acreditamos quando acabou o jogo com o Quenia que tinhamos garantido pela primeira vez uma presença na Taça Cup, pois tinhamos vencido Australia, Quenia e perdido com Fiji que nao entrava nas nossas contas... pensavamos nos que o campeao em titulo nao iria facilitar e venceria a Australia sem problemas... mas nao, mais uma vez como de se um mau olhado se tratasse, a sorte nao esteve do nosso lado e a Australia venceu as Fiji no ultimo minuto e o que parecia um certeza cabou por nao acontecer!! Estamos tristes nao posso nega-lo estivemos no ceu durante 1 hora e meia a pensar amanha estariamos entre os melhores (onde merecemos estar!!!) e caimos para o inferno em 14 min de rugby...

AUSTRALIA 10 - PORTUGAL 12

Comecamos o dia com uma vitoria historica contra uma das maiores potencias mundiais de rugby, a Australia, com uma exibicao impressionante e o resultado de 12-10 poderia ter sido muito mais dilatado!!!! Acabamos a primeira parte a perder 5 -0 mas com dominio total da partida, com 80% de posse de bola mas sem marcar, com ensaios de Aderito Esteves e Pedro Leal, demos a volta na segunda parte e ganhamos um jogo que sempre dominamos e que fica para a historia... Iniciaram o jogo Mateus, Pico, Girao, Mirra, Pipoca, Aguilar (cap.) e Aderito (entraram D'Eça, Foro)

FIJI 36 - PORTUGAL 0

Neste jogo sabiamos que nao poderiamos relaxar pois os pontos poderiam ser importantes nas contas finais (como foram), comecamos muito bem a defender um magicos das fiji com um espirito de entreajuda tremendo e acabamos a primeira parte a perder por 12-0, mas na segunda parte nao aguentamos a pressao dos campeoes do mundo e ja com a cabeca no jogo do Quenia, penso que relaxamos e acabos por sofrer pontos demais... Iniciaram o jogo Mateus, Pico, Girao, Pipoca, D'Eça, Aguilar (cap.) e Aderito (entraram Foro, Moreira e Valter)

PORTUGAL 29 - QUENIA 0

Este era o nosso jogo!!! Muito agressivos na defesa, intrataveis no pontape de saida e na placagem, nao tiramos o pe de cima do adversario e ao intervalo ja venciamos por 24 -0, mas como sabemos em 7´s tal como nos marcamos na primeira parte, eles podem fazer igual na segunda... por isso entramos com muita concentracao e basiamos o nosso jogo numa defesa forte e jogar a partir de "turnovers", defendemos como e habitual nos lobos... e acabamos o jogo com 29-0 e com o sentimento de trabalho feito e com os dois pes na taca Cup (pensavamos nos...!!!) Um feito inedito e so dependiamos agora dos campeoes do mundo para vencerem uma Australia de rastos depois de perder com Portugal e a sofrer para ganhar ao Quenia! Mas nao aconteceu, as Fiji perderam e nos fomos para a Taca Bowl mais uma vez, que nao e vergonha nenhuma mas estes rapazes mereciam mais!!!! Iniciaram o jogo Mateus, Pico, Girao, Mirra, Pipoca, Aguilar(cap.) e Aderito (entraram Bravo e Valter), marcaram os ensaios Mateus, Pico, Aderito, Girao e Aguilar com 2 transformacoes de Pipoca.

Com muitas cabecas em baixo e muita desilusao, nao e facil pensar no dia de amanha, que nos pensavamos iriamos jogar na Cup e vamos jogar numa taca abaixo que nem por isso e facil... jogamos com a Escocia nos quartos de final e estao presentes equipas como Pais de Gales ou Argentina... Mas com um so objectivo, ganhar a Taca Bowl e somar os primeiros pontos deste ano no Circuito Munidal!!! Fica prometida uma presenca na Cup para os proximos torneios!!

Mais uma vez Portugal foi elogiado por todos com uma equipa que joga um grande rugby e merece estar no topo do rugby mundial, em especial pela Beth (directora do Circuito Mundial) tambem ela convencida que Portugal tinha garantido a presenca na Cup exclamou "Portugal have performed brilliantly to make a first Cup quarter final, Wales have shown that they're a real force again and Zimbabwe and Tunisia also really impressed."

Foram ao Doping David Mateus e Valter Jorge.

Nao podemos deixar de sentir que fizemos o nosso trabalho realizando o melhor primeiro dia de sempre nestes torneios, mas mais uma vez a sorte nao esteve do nosso lado... alguem sabe dela? Diga para ir ter connosco a George (South Africa) porque nos temos procurado e nao a temos mesmo conseguido encontrar!!!

Homem do dia: PORTUGAL (uma mencao honrosa para Gonçalo Foro que foi o nosso primeiro soldado abatido num momento de bravura contra os campeoes do Mundo - Fji)

Momento do dia: O sabor da vitoria inedita a Australia perante 30 mil pessoas ao gritos!!!

www.irbsevens.com

quinta-feira, novembro 30, 2006

Dia 3 - Dubai (Parabens Tiago Girão!!)

Comecamos o dia bem cedo como previsto com um treino as 7h30 para jogar com a Nova Zelandia... Depois de um pequeno almoco improvisado no quarto no Ze Carlos (fisio) fomos para o campo da academia desportiva onde estamos alojados e fizemos um aquecimento em que priveligiamos o passe e ruck (coisas que ainda precisamos de trabalhar um pouco mais...)
O jogo treino com os All Blacks (amigos de longa data des torneios da IRB) consistia num "agarrar" (que quanto mais se joga nemos "agarrar" é...) 4 partes de 7 minutos arbitrados por um elemento do staff neo zelandes. Portugal começou bem e deu muito trabalho nas duas primeiras partes do "amigavel" acabando apenas por sofrer um ensaio ja passava da hora... com as mudancas feitas nas equipas e a ja pouca frescura fisica dos atletas as duas partes finais nao correram tao bem, sofremos varios ensaios, mas foi bom para dar uma noção de jogo real aos estreantes e ver o ritmo a que se joga a este nivel e para repararmos nas nossas fraquezas e para podermos trabalhar para as anular! No final do treino Tomaz trocou impressoes com o seu colega Gordon Tietjens que ficou impressionado com o nosso inicio de treino... Mais tarde ao pequeno almoco falei com DJ Forbes (capitao de equipa da NZ) que me disse exactamente o mesmo e que esperava um grande torneio de Portugal!!! O mesmo me disse Waisele Serevi (meu ex companheiro de equipa no Mont Marsan e agora treinador-jogador na Fiji) que esta no nosso grupo juntamente com Australia e Kenya, que espera que Portugal vença os jogos com Australia e Keyna(menos com Fiji...)!!! Como veem Portugal tem uma grande imagem aqui nestes torneios que demorou muito tempo e deu muito trabalho a construir, mas penso que agora esta na altura de dar finalmente o salto e deixar de ser a equipa que joga bonito, para marcar presencas regulares na primeira taça!!!
Ja com o pequeno almoco tomado fizemos uma recuperacao activa na piscina e jacuzzi. Recolhemos aos quartos para descansar... almoco as 14h!!!
Depois de almoco estava prevista uma visita ao estadio que foi anulada pois achamos que precisavamos de alguns ajustes na equipa... mais descanso... com um treino as 18h.
Este treino soft, so para limar algumas arestas e por as cabecinhas no torneio!!!
Jantamos as 20h depois de ver no nossa sala comum uns videos de 7´s com os canadianos que estao no nosso andar...
As 21h fizemos uma reuniao com o Tomaz para definir estrategias, saber novidades da reuniao dos arbitros (destaque para o nosso Joao Mourinha!!) e a cerimonia de entrega de camisolas...
Por hoje é tudo, amanha comeca o nosso torneio com jogos a partir das 10 da manha com a autralia seguido das Fji e Kenya!!! Espero amanha estar a escrever neste espaco ja com uma presenca historica na Cup (primeira taça do Torneio) esta é uma ambicao legitima de um grupo de jogadores que quer fazer historia no Circuito Mundial de 7´s!!!
Aqule abraço

Homem do dia: Sem duvida o aniversariante com direito a bolo e parabens cantado por varias seleccoes TIAGO GIRAO!!

Momento do dia: O treino madrugador com os All Blacks, sempre bom jogar contra os melhores!!!

quarta-feira, novembro 29, 2006

Quartos no Dubai

Single -Tomaz Morais

Single - Francisco Martins

Single - Jose Carlos Fisio

Double - Antonio Aguilar / Duarte Bravo

Double - Joao Mirra / Xico Moreira

Double - David Mateus / Valter Jorge

Double - Aderito Esteves / Goncalo Foro

Double - Pedro Leal / Tiago Girao

Double - Frederico Sousa / Bernardo D'Eca

Dia 2 - Dubai

Mais um dia nas arabias... com despertar marcado para as 9 da manha para recuperar do jetlag. Mais um pequeno almoco daqueles bons... e saida para o treino as 10h30. Objectivo do treino DEFESA!!! A velha maxima aqui nao se aplica e o melhor ataque e a defesa... Desta vez num campo mais fraquinho... mas com a mesma atitude!!!
o campo foi num Country Club ao lado do Exiles Rugby Ground e o nosso futebol presente com balizas no meio do campo de rugby... la tivemos nos de carregar com o "futebol" para fora, para entrar um desporto a serio, o RUGBY!!! Mais um bom treino com muita atitude de todos e com o nosso Tomaz Morais a envolver-se no treino com se um jogador se tratasse, acompanhado de perto pelo adepto Pascoal e o nosso manager Francisco Martins!! Demos especial atencao a defesa em geral e a partir de situacoes estaticas! Ja com a temperatura a subir para os niveis considerados normais no inverno nessas terras... falo de 30 a 35 graus!!!!
De volta ao hotel e com pressa de almocar pois a tarde e de compras!!!!!!!!!!! Por volta das 14h saimos para o Duty Free Shopping (pois e, aqui nao ha impostos...) Uns compraram mais que outros... com destaque para Pedro "Pipoca" Leal que comprou mais um par de botas porque e passo a citar "As minhas ja estao velhas... e estas sao diferentes!!!!" a este ritmo e com Portugal a participar nos torneios todos do Circuito Mundial vai abrir uma sapataria em Lisboa! E quando toda a gente pensava que Pipoca iria ser a estrela do shopping... eis que surge Goncalo "Macaco" Foro a perder a cabeca pelas novas botas Adidas Predator Beckham da cor do seu clube de sempre o CDUL... e pela primeira vez na sua ainda curta carreira comprou umas botas com o seu verdadeiro numero o modesto 48!!!! Agora com os seus pes mais aliviados e devidamente "vestidos" espero que parta a loica toda no fim de semana!

Directos do shopping fomos para a recepcao do Torneio... enquanto a cidade ficava para tras e nos aproximava-mos do deserto selvagem para trocarmos o nosso autocarro por uns jipes xpto (que o Valter Jorge estava maluco... um verdadeiro tunning!!!) que nos iriam levar para um rally pelo deserto ate pararmos no meio do nada, onde nos esperava uma recepcao com direito a passeios de camelo, sandboard nas dunas do deserto, tatoos temporias tipicas(com destaque para a tentativa de tatoar o simbolo de portugal no bicipte de Xico Martins...), cachimbo de agua " chicha" com sabor de menta e maca... os jogadores de 16 paises convivem... encontram-se amigos de todos os paises, comida com fartura para todos os gostos, enfim, o verdadeiro espirito do RUGBY!!! Eram varias tendas com mesas baixas e almofadas, na nossa tenda estava a nossa ja conhecida Argentina e para inveja de todos a equipa de Cheerleaders do torneio!! E para acabar em beleza, no centro das tendas, um momento de sensualidade com a danca do ventre!!!! A dancarina cativou todos com a sua danca e nem o nosso manager Francisco Martins escapou e deu um ar da sua graca no centro do palco!!! Ja se fazia tarde e o atleta tem de descansar porque amanha foi combinado um treino "amigavel" com a Nova Zealandia as 7h30 da manha!! Por isso voltamos para o hotel onde alguns atletas mais dificeis de alimentar ainda foram picar o jantar do hotel...
Reuniao rapida sobre o dia de amanha com o Tomaz a incentivar e a propor objetivos para o torneio que ficam entre nos... mas sao ambiciosos!!

Homem do dia: Goncalo "Macaco" Foro por finalmente encontrar as botas da sua vida!!!!

Momento do dia: Adrenalina no rally pelo deserto com a equipa dividida por 3 jipes numa corrida com algumas manobras mais arriscadas... seguido de perto pela prestacao de Xico Martins na pista de danca do ventre!!!

Nota: Espero publicar a partir de amanha algumas fotos e videos dos momentos relatados...

Dia 1 - Dubai

Bem-vindos ao diario da seleccao nacional de 7's... Peco desculpa primeiro de tudo pelo atraso do post, mas o hotel so tem um computador disponivel e nao existe wireless!!!!

A viagem para ca foi um pouco cansativa com um treino ainda em terras portuguesas em Monsanto (mais uma vez obrigado ao Grupo Desportivo de Direito por acolher a seleccao nacional no seu campo!!)
A viagem seria "apenas" umas 12 horas... com escala em Londres onde soubemos que nao iriamos viajar, como de costume, em executiva para o Dubai pois ouve overbooking... um pouco mais apertados mas sempre com a boa disposicao caracteristica desta seleccao com o nosso Aderito e Goncalo "Macaco" Foro na lideranca da "palhacada". Depois de alguns filmes e pouco sono chegamos a Dubai onde nos esperava o nosso adepto n1 no dubai o grande Pascoal e a nos guia para o torneio a neo zealandesa Karen. Recebemos a nossa primeira ma noticia a mala do nosso professor Frederico Sousa nem tinha saido de Portugal!!!! (obrigado TAP...)
Com uma diferenca horaria de 4 horas, chegamos ao hotel por volta das 8 da manha locais (sem dormir) mais uma vez uma pequeno contratempo... mal habituados nestas andancas a hoteis de 5 estrelas, este ano o alojamento e numa academia no meio do deserto... melhor para a concentracao das equipas... dizem eles!!! Depois de matar a fome com um pequeno almoco de academia (nao de 5 estrelas como e habitual...) fomos dormir... e dormir... com o meu companheiro de quarto o estreante Duarte Bravo!!!
Por volta das 14h acordamos e mais um almoco fraquinho...(que alias ja foi alvo de criticas por muitas equipas) e mais uma sesta porque o treino esta marcado para as 16h30!!!
Finalmente RUGBY que foi para isso que viemos para o Dubai!!! Com viagem de autocarro pelo deserto ate chegar ao campo (cerca de 30 m) ficamos a saber que as bancadas do campo foram aumentadas para 38 mil pessoas (ano passado 30 mil...) bancadas estas que sao deitadas abaixo todos os anos e construidas de novo cada ano que passa...(dinheiro aqui nao e problema!!!)
Finalmente comecamos o treino num dos campos auxiliares... relva espectacular, temperatura ideal, companheiros de campo temos a Samoa e muito cansaco da viagem!!!! O treino pretendia trabalhar mais o ataque, o cansaco nas pernas nao ajudava nada o aquecimento durinho para tirar esse tal cansaco...(um shuttle so para comecar...) A minha experiencia nestes torneios diz-me que o primeiro treino depois de viagem e o mais dificil e raramente corre bem... e dada a juventude desta equipa ainda pior se tornaria... mas a irreverencia da juventude surprendeu-me e foi dos melhores treinos de que me lembro fazer nestes torneios!!!!!! Grande atitude e sacrifio de todos!!! Tirar a ferrugem e meter a k7 de 7's depois de muitos destes jogadores estarem a jogar 15 durante muitos meses, treinamos ataque e pontapes de saida com grandes prestacoes de Aderito e Girao nas alturas... criamos rotinas de jogo, trabalhamos o nosso sistema de jogo e jogadas a partir de touche!!! Um corridinha para acabar e ja esta!!! Um grande treino!!! Comecamos em grande um caminho que se espera vitorioso!!! Uma rapida visita ao estadio (realmente impressionante... e esta vazio!!!)
De volta ao hotel e a habitual piscina e gelo para recuperar, seguido do jantar e cama...

Homem do dia: Num dia dificil com muito cansaco acumulado era dificil destacar alguem mas tenho de dar uma palavrinha aos estreantes Bernardo D'Eca e Duarte Bravo!!! Bem vindos ao grupo!!

Momento do dia: Chegada ao Dubai Exiles Rugby Ground onde vao jogar mais de 160 equipas e cerca de 2000 jogadores em 3 dias de rugby total!!! Com 3 campos relvados e torneios de Clubes locais, equipas de convite, escaloes de todas as idades, rugby internacional e Ladys Rugby...

http://www.dubairugby7s.com/

Aquele Abraco

domingo, novembro 26, 2006

quarta-feira, novembro 22, 2006

Diário de Dubai 7's e Durban 7's


É com todo o prazer que anuncio que a partir da próxima terça-feira dia 28 de Novembro (depois de nos apurarmos para o Mundial de 15!!!) vou escrever um diário da Selecção Nacional de 7's em viagem com comentários pessoais, de outros jogadores e staff... esperemos que gostem e assim sigam o dia-a-dia de uma equipa amadora no circuito mundial profissional de 7's!!!!

www.irbsevens.com

Mais informações em www.gdd.pt

Portugal x Georgia

IRB Dubai e Durban 7's Em directo na Sporttv!!!

Mais uma vez o nosso canal de desporto a apostar em rugby de qualidade!!! Vai transmitir em directo os torneios de 7's em que Portugal participa!! Quando tiver horários serão publicados neste espaço.

IRB Sevens World Series 2006-07

Portugal vai participar em todas as provas do circuito mundial de Sevens. A lista de jogadores convocados foi hoje revelada, sendo que a viagem está marcada para o dia 27, estando o regresso previsto para o dia 11 de Dezembro.

Segue-se a data dos torneios, bem como a lista de jogadores convocados.

JOGADORES CONVOCADOS

Vasco Uva

Frederico Sousa

David Mateus

Pedro Leal

João Mirra

António Aguilar

Adérito Esteves

Francisco Moreira

Gonçalo Foro

Tiago Girão

Duarte Bravo

Bernardo D'Eça

Manager: Francisco Martins

Coach: Tomaz Morais

Physio: José Rodrigues

terça-feira, novembro 21, 2006

Christian Cullen

again???
Christian Cullen

e continua...
Christian Cullen

Parece fácil...
Christian Cullen

Melhor ensaio na final de HK 7's contra Fiji

domingo, novembro 19, 2006

Springbok Rugby Tribute
All Blacks vs. France

segunda-feira, novembro 06, 2006

The Greatest Try of All Time
All Blacks
2006 Super 14 TV Ad
Super 12 Comercial
Christian Cullen...
Haka All Blacks sub-19
All Blacks Vs Tonga
Welsh National Anthem - Millenium Stadium

sexta-feira, novembro 03, 2006

IRB Rugby Promotion
Haka Explained
Lions Tour 2005 Tribute Video

segunda-feira, outubro 30, 2006

Grupo de Portugal no George Sevens!!! Opinão no Forum!!!

GEORGE 2006 POOLS
Pool A
Won Drawn Lost Pts for Pts against TOTAL PTS
FIJI 0 0 0 0 0 0
SAMOA 0 0 0 0 0 0
CANADA 0 0 0 0 0 0
ZIMBABWE 0 0 0 0 0 0
Pool B
Won Drawn Lost Pts for Pts against TOTAL PTS
ENGLAND 0 0 0 0 0 0
ARGENTINA 0 0 0 0 0 0
WALES 0 0 0 0 0 0
PORTUGAL 0 0 0 0 0 0
Pool C
Won Drawn Lost Pts for Pts against TOTAL PTS
SOUTH AFRICA 0 0 0 0 0 0
FRANCE 0 0 0 0 0 0
KENYA 0 0 0 0 0 0
UGANDA 0 0 0 0 0 0
Pool D
Won Drawn Lost Pts for Pts against TOTAL PTS
NEW ZEALAND 0 0 0 0 0 0
AUSTRALIA 0 0 0 0 0 0
SCOTLAND 0 0 0 0 0 0
TUNISIA 0 0 0 0 0 0

Grupo de Portugal no Dubai Sevens!!! Opinão no Forum!!!

DUBAI 2006 POOLS
Pool A
Won Drawn Lost Pts for Pts against TOTAL PTS
FIJI 0 0 0 0 0 0
AUSTRALIA 0 0 0 0 0 0
KENYA 0 0 0 0 0 0
PORTUGAL 0 0 0 0 0 0
Pool B
Won Drawn Lost Pts for Pts against TOTAL PTS
ENGLAND 0 0 0 0 0 0
FRANCE 0 0 0 0 0 0
SCOTLAND 0 0 0 0 0 0
ZIMBABWE 0 0 0 0 0 0
Pool C
Won Drawn Lost Pts for Pts against TOTAL PTS
SOUTH AFRICA 0 0 0 0 0 0
ARGENTINA 0 0 0 0 0 0
CANADA 0 0 0 0 0 0
TUNISIA 0 0 0 0 0 0
Pool D
Won Drawn Lost Pts for Pts against TOTAL PTS
NEW ZEALAND 0 0 0 0 0 0
SAMOA 0 0 0 0 0 0
WALES 0 0 0 0 0 0
ARABIAN GULF 0 0 0 0 0 0


Vai ao forum e lança um tema!!!

Free Message Forum from Bravenet.com
Rugby - Anything Can Happen!
Porquê jogar rugby?
Bulldogs - Dogs of War

Portugal afasta poderosa Rússia

após êxito sofrido sonho do mundial ganha asas para o duelo com a geórgia
Portugal afasta poderosa Rússia
Por antónio aguilar

SOFRER até ao fim parece ser o destino de Portugal nos confrontos com a grande nação russa. Ontem, o jogo de Taveiro, no qual a Selecção conquistou o título europeu há dois anos, após selar o triunfo apenas na parte final, veio à memória. Porém, a equipa das quinas resistiu às toneladas a mais da armada russa e arrancou crucial vitória que permite aos lobos portugueses prosseguir caminho no apuramento para o Mundial de França, em 2007. Segue-se novo round com a eliminatória a duas mãos (11 e 25 de Novembro) diante uma Geórgia que ontem, em Tiblissi, bateu a Espanha por 37-23. Quem ganhar segue directo para o Mundial, o derrotado avança para a repescagem (vencedor do Tunísia-Namíbia).

Voltando ao êxito de Portugal, em 80 minutos de tudo ou nada a Selecção sentiu o calor dos fiéis seguidores. Logo no 1.º minuto um erro individual de Malheiro deu a oval para o ensaio de Kuzin e estava feito o 0-5. Em vez de acusar o golpe os lobos foram lentamente construindo o seu jogo, embora acusando problemas nas touches e no confronto físico com o poderoso bloco avançado russo.

Com 3-8 a meio da 1.ª parte Portugal cresceu e sempre que a bola lhe corria pelas mãos o perigo surgia. Assim foi aos 29 minutos, numa bola ganha na mêlée com Vasco Uva a atacar e Pedro Leal a dar muito bem para o ponta Aguilar que foi letal na obtenção do ensaio sob os postes (10-8)! Mais perigosa na 2.ª parte, a Rússia fez dois ensaios merecidos para o 19-23. Porém, Portugal arriscou à mão, o nº 9 Pissarra deu nova alma e o ensaio da reviravolta surgiu após o 2.ª linha Marcelo ter furado e dado a bola a Diogo Mateus, que voou para a glória e o delírio do público. Com 26-23 a Rússia atacou os lobos que, intratáveis na defesa, garantiram uma bela vitória!

domingo, outubro 29, 2006

E o sonho continua

Portugal venceu a Rússia e mantém-se na luta por um lugar no Mundial. Nem um mau começo abanou a determinação lusitana em chegar à vitória

JOSÉ RODRIGUES


O sonho português de chegar à fase final da Taça do Mundo de 2007, a realizar em França, ganhou novo alento com a vitória sobre a Rússia por 26-23 (10-8 ao intervalo), corolário de uma exibição plena de alma, raça e orgulho de vestir e honrar a camisola das “quinas”.

Ontem, no Universitário de Lisboa, a Selecção Nacional assinou uma das exibições em que mais colocou todo o querer e vontade.

Era um embate de tudo ou nada, uma final, em que todos sabiam que cada erro teria um preço elevado – e os Lobos cometeram três falhas e “pagaram” com outros tantos ensaios – e daí algum nervosismo, alguma intranquilidade inicial.

O início do jogo não foi bom para Portugal, e um ensaio sofrido ao segundo minuto chegou para dar um “arrepio italiano” à assistência, que temeu o pior. Mas, desta vez, as coisas foram diferentes. A equipa esteve irrepreensível a defender e a placagem voltou a ser o trunfo luso no combate a uma Rússia que ainda trazia o sabor da vitória, em Junho, por 37-17.

Com calma e organização, os portugueses foram construindo o seu jogo, mas sobretudo foram ganhando confiança para partirem em busca da vitória.

O primeiro aviso


Aos 19 minutos, Portugal deu mostras das suas capacidades. Uma formação ordenada, com introdução de José Pinto, resultou na primeira jogada de ataque de grande qualidade. Saiu Vasco Uva com o apoio de Pinto, aparecendo ainda o ponta António Aguilar que, com uma forte arrancada, colocou a defesa russa em dificuldades. Era o primeiro sinal.

Portugal mostrava-se mais solto e perigoso e, dez minutos depois, numa jogada em tudo idêntica e quase com os mesmos protagonistas, juntando-se-lhes Pedro Leal, que no derradeiro movimento serviu Aguilar para mais uma arrancada e o primeiro ensaio luso, que Gonçalo Malheiro transformou.

Já sob o termo da primeira parte, a raça defensiva lusa teve uma excelente prestação, impedindo um ensaio mais do que feito aos rivais de Leste, permitindo conservar a vantagem na ida para o intervalo.

O recomeço foi em tudo idêntico ao início. A Rússia voltou a marcar e a reacção lusa repetiu-se e a partida ganhou vivacidade, mas sempre sobre grande equilíbrio.

A "explosão" portuguesa deu-se aos 70 minutos, quando Portugal passou para a frente com um ensaio de Diogo Mateus a coroar uma fabulosa arrancada de Marcelo D'Orey, cujos quase 140 quilos se mostraram imparáveis. O apoio de Mateus foi crítico e o ensaio fez pender o triunfo para as hostes lusas.

Depois seguiram-se dez minutos de grande sofrimento até ao tão desejado triunfo.

Agora segue-se a Geórgia, que derrotou a Espanha por 37-23.

Invasão de campo!


Nos minutos finais a ansiedade pelo termo do encontro levou a que, ao apito do árbitro para uma formação, alguns dos jogadores portugueses pensassem que o jogo estava acabado e levantassem os braços em sinal de vitória. Foi o suficiente para os ocupantes da bancada destinada ao público mais jovem invadirem, em massa, o terreno de jogo, lançando alguma confusão.

A comemoração foi, afinal, apenas adiada por alguns minutos, poucos, mas que pareceram uma eternidade.

Ficha de jogo


Local: Estádio Universitário de Lisboa
Árbitro: Peter Fitzgibbon irlandês)

Portugal 26 (10)

Pedro Leal; António Aguilar (5), Miguel Portela, Diogo Mateus (5) e Pedro Carvalho; Gonçalo Malheiro (3,2,3) (Cardoso Pinto, 3,3,2) e José Pinto (Luís Pissarra); Vasco Uva, Paulo Murinello (João Uva) e Diogo Coutinho (Sebastião Cunha); Marcello D'Orey (Juan Severin) e Gonçalo Uva; Joaquim Ferreira, João Correia e Rui Cordeiro (Cristian Spachuk).

Seleccionador: Tomaz Morais

Rússia 23 (8)

Dmitry Zubarev; Mikhail Babaev, Andrey Kuzin (5), Konstantin Rachkov e Vladimir Ostroushko; Korobeynikov e Viktor Motorin (3,3,2) (Vladislav Korshunov); Vyacheslav Grachev (5,5), Artem Fatahov (Alexander Shakirov) e Alexey Sarychev; Kirill Kulemin e Sergey Sergeev; Viktor Zdanovich (Vladimir Marchenko), Roman Romak (Oleg Shukaylov) e Alexandrer Khorin.

Seleccionador: John Groewald

Fonte: O jogo

Portugal sneak in

Portugal sneak in

Last-gasp victory in Lisbon

Portugal's hopes of going to France next year are still alive, thanks to a last-minute try over Russia in Lisbon.

Portugal now face Georgia who beat Spain. If Portugal win that they will head straight for France. If they lose that they have to go into répechage. There they will play the loser of the two-legged qualifier between Namibia and Morocco and then, if they win that, Uruguay.

Russia can no longer qualify.

Russia went 23-16 up with 15 minutes to go but, as time ran out, Portugal scored the try which may yet send them to France next year. The try came with Portugal trailing 23-19. Lock Marcelo D'Orey broke brilliantly to send inside cengtre Diogo Mateus in for the try.

Russia started off in splendid fashion when they grabbed a dropped pass and centre Andrey Kuzin scored the try. 5-0 after just two minutes.

Gonçalo Malheiro, whose error had led to the try, then goaled a penalty. 5-3, which Viktor Motorin cancelled out with a penalty goal.

From the kick-off, Portugal got on top and good teamwork brought a try for right wing António Aguilar, converted by Malheiro to give Portugal a 10-8 lead at half-time.

The lead did not last long in the second half for near the beginning No.8 Vyacheslav Grachev burst through to score. Two penalties by Malheiro and one by Motorin were followed by Grachev's second try and Russia led 23-16 with 15 minutes to play.

Those 15 minutes belonged to Portugal. First replacement Duarte Pinto reduced the lead to 23-19, to be followed then by all the drama of the finish.

Scorers:

For Portugal:
Tries:
Aguilar, Mateus
Cons: Malheiro, Pinto
Pens: Malheiro 3, Pinto

For Russia:
Tries:
Kuzin, Grachev 2
Con: Motorin
Pens: Motorin 2

Teams:

Portugal: 15 Pedro Leal, 14 António Aguilar, 13 Miguel Portela, 12 Diogo Mateus, 11 Pedro Carvalho, 10 Gonçalo Malheiro,8 Vasco Uva, 9 José Pinto, 7 Paulo Murinello, 6 Diogo Coutinho, 5 Marcelo D’Orey, 4 Gonçalo Uva, 3 Joaquim Ferreira, 2 João Correia, 1 Cristian Spachuk or Rui Corderio
Replacements: 16 Cristian Spachuk or Rui Cordeiro, 17 Juan Severino, 18 Sebastião Cunha, 19 João Uva,
20 Luís Píssara, 21 Duarte Pinto, 22 João Diogo Mota or Gustavo Duarte

Russia: 15 Dmitriy Zubarev, 14 Mikhail Babaev, 13 Andrey Kuzin, 12 Konstantin Rachkov, 11 Vladimir Ostroushko, 10 Alexey Korobeynikov, 9 Viktor Motorin, 8 Vyacheslav Grachev, 7 Artem Fatahov, 6 Aleksey Sarychev, 5 Kiril Kulemin, 4 Sergey Sergeev, 3 Victor Zdanovich, 2 Roman Romak, 1 Alexander Khrokin,
Replacements (from): Oleg Shukaylov, Vladimir Marchenko, Valery Fedchenko, Vladislav Korshunov, Aleksandr Shakirov, Yury Kushnarev, Sergey Belousov, Ivan Prishchepenko, Victor Gresev

Referee: Peter Fitzgibbon (Ireland)

in www.scrum.com

quarta-feira, outubro 25, 2006

Heineken Cup - Steven Berkoff - Trailer

Obrigado ao nosso grande capitão Vasco Uva por me ter enviado este video!!

Aquele Abraço

PORTUGAL X RÚSSIA

PORTUGAL X RÚSSIA

The Haka




Tradução do Haka e do Kapa O Pango


The Te Rauparaha Haka:

Before the Haka is performed by the team, the Haka leader, normally an All Black of Maori descent, will instigate the Haka and spur on those who are to perform the Haka with the following.

Ringa pakia
Uma tiraha
Turi whatia
Hope whai ake
Waewae takahia kia kino

English Translation:
Slap the hands against the thighs
Puff out the chest
Bend the knees
Let the hip follow
Stamp the feet as hard as you can.

Ka Mate! Ka Mate!
Ka Ora! Ka Ora!
Tenei te ta ngata puhuru huru
Nana nei i tiki mai

Whakawhiti te ra
A upane ka upane!
A upane kaupane whiti te ra!
Hi!!

English Translation:
It is death! It is death!
It is life! It is life!
This is the hairy person
Who caused the sun to shine
Keep abreast! Keep abreast
The rank! Hold fast!
Into the sun that shines!



Kapa o pango haka:

This haka was first performed by the All Blacks versus South Africa on 27 August 2005 at Carisbrook, Dunedin. The All Blacks won 31 - 27. This haka was written by Ngati Porou's Derek Lardelli. This haka will only be performed before special test matches.

Kapa o pango kia whakawhenua au i ahau!
Let me become one with the land
Hi aue, hi!
Ko Aotearoa e ngunguru nei!

This is our land that rumbles
Au, au, aue ha!
And it's my time! It's my moment!
Ko Kapa o Pango e ngunguru nei!
This defines us as the All Blacks
Au, au, aue ha!
It's my time! It's my moment!
I ahaha!
Ka tu te ihiihi

Our dominance
Ka tu te wanawana
Our supremacy will triumph
Ki runga ki te rangi e tu iho nei,
tu iho nei, hi!

And will be placed on high
Ponga ra!
Silver fern!
Kapa o Pango, aue hi!
All Blacks!
Ponga ra!
Silver fern!
Kapa o Pango, aue hi, ha!
All Blacks!

terça-feira, outubro 24, 2006

Rugby League - NRL Big Hits..
NRL Big hits so far this year