domingo, dezembro 17, 2006

Direito falhou a quarta

JOSÉ RODRIGUES


O Direito não consegui bater a formação homóloga espanhola, o U.E. Santboina, na 31.ª edição da Taça Ibérica e, assim, consolidar a hegemonia lusa no râguebi peninsular.

Em campo, os “advogados” foram a equipa que mostrou, poucas vezes, alguma qualidade na prática da modalidade, mas faltou-lhe claramente ser uma equipa, tendo estado em campo duas metades distintas – uma "imitadora" da selecção, com elevada capacidade competitiva (mas a revelar algum cansaço) e outra limitada à competição interna e, por conseguinte, com pouco ritmo.

Já do lado dos espanhóis, o râguebi exibido é quase “jurássico”, assentando quase exclusivamente no poderio do bloco avançado – de facto muito forte e experiente – para fazer progredir a equipa e o marcador.

E se na primeira parte, a partida se desenrolou sob grande equilíbrio, embora com alguma vantagem dos catalães, já o tempo complementar mostrou-se fatal para o “quinze” de Monsanto. Sem que houvesse ligação entre avançados e três-quartos e ainda com dois jogadores nitidamente abaixo das necessidades – abertura e primeiro centro –, os “advogados” ainda ofereceram um brinde aos adversários. A meio do segundo tempo e quando saía para o ataque, Caetano Nunes permitiu uma intercepção do ponta rival que, sem hesitar e sem adversário pelo frente, correu até ao ensaio.

Era a desilusão numa exibição já de si sofrida e que, com o passar do tempo, se complicaria, sobretudo já sob o termo, com as duas exclusões temporárias, reduzindo o Direito a 13 unidades e uma missão impossível – dar a volta ao marcador e conquistar a quarta Taça Ibérica.

Juiz corajoso


O árbitro francês Laurent Vallant esteve bem, foi disciplinador e pedagogo, tudo fazendo para que o jogo decorresse sem incidentes, o que em boa verdade aconteceu.

Sempre muito firme, mas sem ser autoritário, o juiz evitou mostrar o cartão amarelo, mas acabaria por ter de o fazer por quatro ocasiões, três ao Direito (Miguel Leal, Pedro Carvalho e Rui D’Orey) e uma aos espanhóis.

No entanto, onde o gaulês surpreendeu foi quando se interpôs entre jogadores desavindos, situação que evitam, até mesmo por questões de segurança. Mas Vallant foi mesmo valente e, de forma determinada, por duas vezes evitou cenas de pugilato entre jogadores.

Ficha de jogo


Local | Estádio Universitário de Lisboa
Árbitro| Laurent Vallant (francês)

Direito 16 (6)
Pedro Leal (3,3,5,2,3); Miguel Portela, João Diogo Mota, Miguel Leal (André Tojal) e Pedro Carvalho; Frederico Nunes e José Pinto; Vasco Uva (capitão), Salvador Palha e Diogo Coutinho; Eduardo Acosta e Rui D’Orey; Bernardo Mota, João Correia (Gonçalo Alpoim) e Jorge Segurado.
Treinador| Daniel Hourcade

U.E. Santboiana 22 (6)
Victor Marlet (José Luís Diaz); Oriol Garcia, Ivan Reseter (Iñaki Campillo), Marc Ventura (capitão) (Iñaki del Portillo) e Gonçalo Vicente (5); Alfons Martinez e Santiago Serrano (3,3,2,3,3,3); Sergi Guerrero, Frederico Alcon e Pol Massoni; Scott Keith e Vicens Lazaro; Xavier Corbacho, Ricardo Martineta e Miguel del Toro.
Treinador| Pablo Tomaz

OS TÉCNICOS

Daniel Hourcade
Treinador de Direito
"Nós é que perdemos"


"Estou triste porque fomos nós que perdemos, mais do que eles ganharam e isso mostra bem o que se passou. Isto sem falta de respeito pela vitória e trabalho do Santboiana. Mas Direito foi o grande rival de Direito, marcámos os nossos pontos e os deles com os erros cometidos. Criámos boas situações mas acabámos ou a perder a bola ou a cometer falta e não estivemos nada bem na ligação avançados/três-quartos".

Tomaz Morais
seleccionador nacional
"Foi uma pena"


“Foi uma pena o Direito não ter ganho, pena que não tivesse jogado à Direito, ter sido uma equipa mais dinâmica e o jogo seria outro, tal como o resultado que, com naturalidade seria uma vitória porque os espanhóis foram muito estáticos. De qualquer forma, eles tiveram muita atitude e lutaram até ao fim, uma característica da nossa selecção. É uma equipa jovem e com boa margem de progressão."

in "O Jogo"

16 comentários:

Anónimo disse...

seria mais interessante ouvir a tua opinião sobre o jogo.
todos podemos aceder aos sites dos jornais desportivos para ler o que lá se escreve!

maria disse...

http://rugbyfem.blogspot.com/ esperemos que o visitem e colaborem com ele.
Bjs

Anónimo disse...

nao arranjem 1 abertura de jeito q n é preciso...

Anónimo disse...

Para seu conhecimento e para eventual divulgação.

PORTUGAL NO MUNDIAL UNIVERSITÁRIO

A Federação Académica de Desporto Universitário (F.A.D.U.) recebeu um convite oficial para participar com a Selecção Nacional Universitária na Taça do Mundo de Rugby Universitário, a ter lugar na Universidade de Stellenbosch, África do Sul. Esta competição que contará com as principais selecções mundiais realizar-se-á entre os dias 1 e 21 de Julho de 2007. Poderão ser convocados todos os estudantes dos vários graus (Bacharelato, Licenciatura, Pós-graduação, Mestrado e Doutoramento) do Ensino Superior nascidos depois do dia 1 de Janeiro de 1979. Todos aqueles que tenham terminado um dos referidos graus académicos no ano lectivo de 2005/2006 e que tenham nascido depois da referida data poderão, igualmente, ser convocados.

Sem mais de momento e agradecendo a atenção dispensada.

Boas Festas!

Anónimo disse...

Alguém sabe quem é o treinador?

Anónimo disse...

Aguilar, acabei de ouvir esta barbaridade: por imposição dos dirigentes Jorge Girão, Jorge Galamba, Manuel Costa, o presidente da FPR cada clube só pode ceder 3 jogadores a selecção de sevens? isto é verdade? não acredito uma selecção nacional estipulada e definida pelos clubes... as selecções não são para os melhores? terão os clubes o direito de tomar uma decisão destas sem o nosso consentimento? afinal somos amadores ou não? a mim só a FPR é que me apoia financeiramente, mais ninguém!
sabes qual é a posição do presidente da FPR? e do Tomaz? a tua, a do Pico e a do Girão como nossos capitães? olha que não podemos ficar quietos!!!

paulo costa disse...

Para quando um comentário ao jogo Direito-Agronomia?
abraços

pedro marques disse...

Alguem sabe quanto ficou o belenenses-tecnico?

Anónimo disse...

20-8 para belem

Anónimo disse...

Será que não se jogou o jogo em atraso Direito-Agronomia? Ninguém comenta? Porque será? Nem nos jornais? O jornal "A Bola" só comenta com 1/2 pagina o interessantissimo jogo de ontem Belenenses-Tecnico! Será por Agronomia ter ganho ou por Direito ter perdido? Não acredito!

Anónimo disse...

Nng quer comentar a forma ridicula em que o GDD se encontra...

Anónimo disse...

Em relaçao ao comentario, de apenas se poder ceder 3 jogadores para os 7´s acho mt bem.
Como querem evoluir o o rugby portugues se apenas se "liga" as selecoes?! ja somos poucos entao s for sp para os mm ainda menos ficamos....
e caso n saibas quem participe nos 7´s esta completamente fora dop campeonato nacional...logo seria injusto para clubes ficarem sem mt jogadores...ca em portugal somos jogadores de 15 q tb jogamos 7´s e n o contrario....

Anónimo disse...

De facto não se jogou o Direito-Agronomia, eu devo ter visto outro jogo! Peço desculpa ao Aguilar, á FPR, ao GDD e ao jornal "A Bola"!

Anónimo disse...

Em parte nenhuma do mundo há jogadores 7`s que também jogam 15.

Anónimo disse...

Quase todos os jogadores de 7s tb jogam XV, só q jogam a um nível muito baixo. O W. Rider por exemplo joga numa equipa fijiana de 3º plano e dizem q é péssimo jogador de XV.

Anónimo disse...

fds este anonimo é um gajo mta parvo!aquele abraço aguilas...soneca